Imagine que, numa pesquisa sobre trabalho, você tenha incluído a seguinte pergunta no seu questionário: “Descreva o seu trabalho”. Imagine agora que, entre outras, você tenha recebido as seguintes respostas:

- Respondente A: “Trabalho assalariado, em tempo integral, numa companhia privada”

- Respondente B: “Auxiliar administrativo 1”

- Respondente C: “Triagem, registro e despacho de documentos”

- Respondente D: “Eu trabalho no setor de protocolo da Empresa. Todo documento ou material que chega – seja de clientes, parceiros, fornecedores, escritórios regionais, empresas coligadas, público em geral, etc. – eu dou entrada, carimbando o comprovante, que pode ser a segunda via do documento de encaminhamento, o livro de protocolo do entregador, a guia de recebimento, o que for. Eu mesmo dato e assino. Em seguida, registro a entrada no Sisen – o sistema de entrada de documentos da Companhia. Esse sistema compreende um arquivo Excel geral, onde as entradas são registradas em ordem de chegada e outros arquivos menores, para onde são automaticamente enviados os registros, de acordo com o C.D. – o código de destino que eu mesmo crio, dependendo da área da Empresa para onde a encomenda ou o documento deve ser encaminhado. Feito isso, eu libero o material para um contínuo daqui do setor, que sai distribuindo os itens para os destinatários, coleta a rubrica de quem recebeu e me passa para registro no Sisen. Ao final de cada mês...”

Bem, é melhor parar por aqui, porque, ao que tudo indica, o falante Respondente D não deve concluir tão cedo a sua resposta. Responda você, amigo leitor: qual das quatro respostas você queria para a sua pergunta?

Ah, você diz que as duas primeiras não servem para nada, pois são genéricas demais? Bom, então deve ser a quarta, que certamente genérica não É (isso, se o Respondente D acabar de anotá-la algum dia, né?). Como? Ah, ela é desnecessariamente detalhada demais? Então, meu amigo, problema seu, que não orientou o público da pesquisa sobre como responder!

Observe que, dependendo da finalidade da pesquisa, qualquer uma das quatro respostas poderia atender às necessidades do pesquisador. Se o seu levantamento tiver fins meramente estatísticos, de contagem de funções, níveis e áreas em diversas empresas, a resposta do Respondente A servirá perfeitamente; se você tiver a intenção de fazer uma segmentação das respostas por cargo, a resposta do Respondente B provavelmente o atenderá; se você estiver interessado em investigar como diferentes empregados descrevem a própria função na empresa, é a resposta do Respondente C que vai fornecer a informação de que você precisa; por fim, se a sua pesquisa tiver como objetivo uma revisão do plano de cargos e salários da empresa ou então mapear os processos internos, é o tipo de resposta do prolixo Respondente D o que você vai querer.

Ah, sim, antes que eu me esqueça: os respondentes A, B, C e D são a mesma pessoa, tá? – apenas orientada de modo diferente, por pesquisadores diferentes, cada qual com o seu objetivo.

Então, já sabe: dê uma mãozinha ao seu respondente para que ele forneça a informação de que você precisa. Orientar a forma da resposta não tem nada a ver com induzi-la (um pecado mortal em pesquisa, como você pode ver na nossa Dica nº 11).

Teste Teste Teste